Dante ( Brian O´Halloran ) e Randal ( Jeff Anderson ) após colocarem fogo acidentalmente com uma cafeteira no Quick Stop, local onde trabal...

79 - O Balconista 2 (Clerks 2/Kevin Smith/2006)


Dante (Brian O´Halloran) e Randal (Jeff Anderson) após colocarem fogo acidentalmente com uma cafeteira no Quick Stop, local onde trabalhavam e cenário do primeiro Balconista, vão parar  no Mooby´s, um fast food. O trama se passa justamente no último dia de trabalho de Dante, já que ele vai se casar e mudar para a Flórida. Durante o expediente, Dante tem que se resolver com Becky (Rosario Dawson), sua chefe e com quem teve um caso. Enquanto isso, Randal, como presente para o amigo, planeja uma apresentação de "sexo entre espécies" no restaurante.
Os filmes do diretor e roteirista Kevin Smith me agradam, gosto de todos, até de Dogma, que boa parte dos cinéfilos execram, mas fazer o que? Gosto não se discute e as obras de Kevin me fazem rir, o que muitos filmes de comédia hypados não fazem.
O Balconista 2 me foi uma grata surpresa, já que não esperava uma continuação para a distante obra de 1994, e que rivalizasse ao primeiro. Os sumidos Brian O´Halloran e Jeff Anderson voltam a defender muito bem os seus personagens, como se não tivessem saído deles e nesse, ainda temos a contribuição da carismática e taletonsa Rosario Dawson, muito a vontade no meio dos rapazes. Essa realização tem tudo que os filmes do Smith costumam ter: participações especiais dos seus amigos de longa data (Ben Affleck, Jason Lee), discussões sobre cinema (que sacanagem é aquela com Senhor dos Anéis), diálogos sobre sexo (é permitido do ânus para a boca?), referências nerds (transformers) e Jay (Jason Mewes) e Silent Bob (o próprio Kevin Smith). Bom, para quem é fã acho que já seria suficiente, mas a cereja no bolo com certeza é a sequência em que todos dançam ABC dos Jackson Five. O final, com o Show da Kelly safadinha, homenageando o filme Despedida de Solteiro, foi uma boa e engraçada sacada, só Randall mesmo para fazer aquilo.
O Balconista 2 é um filme que vai divertir bastante quem é fã do cinema de Kevin Smith,  porém, talvez possa soar um pouco chato para quem não for. O ideal é apreciar o primeiro e o segundo de uma vez só, aí a diversão fica completa. E pensar que Kevin Smith resolveu fazer o filme como promessa ao amigo Jason Mewes para que se livrasse do vício em heroína, isso é que é amigo. Nota 07.
 

2 comentários:

B-Cine disse...

Marcelo, também compartilho com vc sobre os filmes do Kevin Smith. Gosto de todos incluindo aí Dogma. Adoro aquela cena do cocô. hehehehe
Rosario Dawson é um pitéu. Adoro essa moça desde Kids.
Não sabia dessa história do Mewes. Bacana a iniciativa do diretor em ajudar seu amigo. Aliás,o eixo principal da trama é a amizade mesmo, que aqui emociona bastante na cena com os protagonistas em que um se declara para o outro.
Eles conseguiram realizar uma obra tão boa quanto a do primeiro filme.

Celo Silva disse...

Cara, as vezes até me sinto na pele deles, engraçado como alguns filmes te tocam de uma maneira diferente. Vlw