A produção inglesa baseada no aclamado livro Precisamos Falar Sobre o Kevin é um filme que foi bem recebido em festivais, como o de Can...

363 - Precisamos Falar Sobre o Kevin (We Need to Talk About Kevin/Lynne Ramsay/2011)


A produção inglesa baseada no aclamado livro Precisamos Falar Sobre o Kevin é um filme que foi bem recebido em festivais, como o de Cannes, a qual foi nomeado para a Palma de Ouro e também tem recebido muitas indicações para premiações como o Globo de Ouro e uma boa parte da critica e dos cinéfilos que o assistiram esperam que seja lembrado para o Oscar. São notórios os motivos pelo qual o filme tem sido louvado, pois mostrar uma relação familiar, com foco na mãe e no filho, de maneira tão crua e cruel é para poucos e a diretora escocesa Lynne Ramsay se sai bem no tratamento da tragédia que envolve esses conturbados e perturbados personagens.

A narração entrecortada por passagens em linhas temporais diferentes pode demorar um pouco a fazer o espectador se conectar com a obra, porque em certos momentos elas confundem, mas podem ter sido armadas desse jeito para gerar esse embaralhamento, até porque Ramsay vai liberando as revelações aos poucos, trazendo cenas que mostram o desfecho, para depois mostrar o que aconteceu. Como Precisamos Falar Sobre o Kevin é um filme recente e que deve estrear em circuito comercial no Brasil ainda em Janeiro de 2012, nem vale contar muito de sua trama que mostra o relacionamento deveras difícil entre Eva (Tilda Swinton), a mãe perdida em suas próprias convicções e no trato do filho Kevin (Ezra Miller na fase adolescente), um jovem que parece sofrer algum desvio de caráter ou somente seja carente de amor materno, mas que faz o jovem se tornar uma bomba ambulante, prestes a explodir a qualquer momento.

A opção por não delinear muito os aspectos de Kevin é interessante, mostrando apenas passagens soltas de sua infância e adolescência, porque cabe ao público decifrar o personagem, que ainda parecer guardar muitas semelhanças com a mãe, mesmo que ela não perceba ou faça vista grossa para a situação. A verdade é que o rapaz não se ajusta ao mundo como ele é, parecendo um tanto deslocado para qualquer ponto de vista e somente quando confronta ou afronta Eva é que podemos perceber o quanto ele sofre ou por um outro lado mesmo achar que o rapaz é apenas um sociopata em potencial. A mãe mesmo percebendo o quanto Kevin parece estranho, ainda assim tenta trata-lo como se nada acontecesse, como se tudo pudesse passar em um passe de mágica, mas sabemos que não é assim e ela também, mas é o filho dela e sabe-se que uma mãe mesmo sabendo o quanto seu filho pode ser repulsivo, no seu mais intimo ela nunca deixa de amá-lo. Precisamos Falar Sobre o Kevin é um filme que precisa ser visto e discutido, independente de premiações ou atuações, uma obra que dialoga muito bem sobre esse cotidiano introspectivo. 


14 comentários:

Rodrigo Mendes disse...

Outro filme que anseio em assistir. Tilda Swinton é ótima e o livro/filme me deixou curioso demais!

Acho que vou gostar. Gosto de filmes que fazem refletir e nos deixa montar a narrativa com plots que vão surgindo e surpreendendo.

Anotado, mais do que anotado... Tô querendo ver esta fita faz tempo!

Reta final heim Celo?!
Abs.

Bom final de ano!

Eita, tá faltando dois!

Alan Raspante disse...

Nem li muito o seu texto já que estou doido pra ver esse filme. Além da história ser super interessante, ainda tem essa coisa linda da Tilda (:

Celo, tá chegando o graaaande dia!

Abs.

Gabriel Neves disse...

Eu amo o livro e graças a ele fui ver o filme. E que filme! Um dos melhores que vi esse ano. Gostei da narrativa, das imagens, de toda a reconstrução que fizeram da história do Kevin, e ele ainda trouxe os dois lados, tanto o da mãe amargurada quanto o do filho sociopata. Tilda Swinton merecia ao menos uma indicação, e Ezra Miller também está ótimo quando aparece.
Abraços, e só faltam mais dois filmes, hein?

Gostei da crítica. Eis um dos filmes pelo qual estou ansiosíssimo.

Abs

B-Cine disse...

Pois é...e a saga do Celão está chegando ao fim...será que ele vai conseguir???? E se conseguir... qual será o último e derradeiro??? seria o derradiro??? Enfim...estou roendo as unhas...hehehhe
Celão esse é uma das grandes promessas para 2012. Além do novo Cronenberg, O artista, Os decendentes, o novo Tarantino... o ano promete.
E a Tilda cada vez mais se firmando como grande atriz.
Grande abraço meu amigo, estamos juntos no final da saga e é claro aguardando depois um novo começo.

Luís disse...

Penúltimo filme e devo dizer: grande filme. Eu o vi e fiquei estarrecido com a atuação de Tilda, que realmente me deixou boquiaberto. Realmente se trata de um grande, principalmente por causa da delicadeza com a qual mostra cada evento acontecendo. Parabéns pelo texto, realmente vale a pena ver o filme aqui.

J. BRUNO disse...

Já estou com ele no computador, só que tem faltado tempo para assistir, os últimos filmes que vi, assisti na casa de amigos e isso faz com que obras mais difíceis de cair no gosto geral fiquem para uma próxima sessão... Lembro que na época da faculdade quando começamos desenvolver um projeto de incentivo à leitura este livro foi adquirido por sugestão de um aluno de um dos cursos da instituição, deixei de lê-lo por puro preconceito, pela capa sempre achei que ele era algum tipo de livro de autoajuda... Agora quero ver o filme e se possível ler o livro...

http://www.sublimeirrealidade.blogspot.com/2011/12/historias-cruzadas.html#comment-form

Tsu disse...

Oi Celo!
A temática desse filme despertou minha atenção principalmente por ter a excelente Tilda Swinton no elenco. Irei ver!

Hum..nem me fale em muito trabalho! Sei como é...também fiquei numa baita correria nesses últimos tempos, nem sei como consegi manter as atualziações do blog!
Vc também compartilha do gosto de ficar enclausurado na época das festas? \o/ É isso aí1 Meu tmepo rendeu acredita/ Consegui fazer quase tudo que precisava e vou repetir isso no revellion.
Aliás..FELIZ ANO NOVO!!!! Tudo de bom pra ti em 2012!!!
bjs

Celo Silva disse...

Rodrigo, reta final total! Esse filme é um dos melhores q vi ultimamente, vale muito um olhada, Tilda Swinton bem demais!;

Fabio, só doizinho...hehehe;

Alan, o texto não tem spoiler, acho q vc vai gostar.

Celo Silva disse...

Gabriel, tem razão, grande momento dos dois atores mesmo, sem dúvida, um dos melhores filmes realizados em 2011;

Reinaldo, um filme muito bom;

Brunão, vc foi um dos grandes incentivadores desse espaço, tenho q te exaltar meu camarada, abração!

Celo Silva disse...

Luis, vale muito a pena mesmo, obrigado pela visita, q é sempre bem relevante;

Bruno, obrigatorio para vc, acho q vai gostar;

Tsu, veja sim! Filmaço! FEliz 2012 para vc tb e não deixe de aparecer.

Abs a Tds!

Júlio Pereira disse...

Nunca me sentir atraído por este filme. Isso diminuiu mais ainda quando o crítico e amigo do Lumi7, Wilson Antonio, deu 2 estrelas pra ele. Ultimamente, quando lançou na internet, vários blogs, como o seu, vem abraçando o filme como um ótimo drama psicológico... E ainda não me sinto atraido. É estranho, né?! Mas, pra todo caso, irei assistir sem preconceitos, é claro.

Celo Silva disse...

Júlio, já escutei pessoas dizendo q não curtiram o filme tb, mas achei bem delineada a relação e com uma grande atuação de Tilda Swinton, veja e tire suas conclusões e depois me fale..rs..
Abração!