Domingo chuvoso, você liga a TV, dá uma zapeada e o que acaba de começar? Clube dos Cinco , clássico da sessão da tarde e filme preferido na...

65 - Clube dos Cinco (The Breakfast Club/John Hughes/1985)

Domingo chuvoso, você liga a TV, dá uma zapeada e o que acaba de começar? Clube dos Cinco, clássico da sessão da tarde e filme preferido na lista de muitos adolescentes da década de 80. A história dos 5 alunos que ficam de castigo sábado na biblioteca, fazem várias loucuras (até fumar maconha) e acabam se descobrindo, tornou - se uma lenda e durante muito tempo uma referência para filmes sobre jovens que queriam ser levados a sério.

Na verdade, Clube dos Cinco é uma grande sacada do Diretor John Hughes que percebendo que a maioria dos filmes adolescentes feito na época eram comédias desmioladas, resolveu escrever um roteiro aonde pegava personagens esteriotipados (o atleta, a patricinha, a deslocada, o nerd, o marginal) e traçava os perfis deles além da mascára inicial. No final, o que surgiu foi uma inteligente crítica a como os jovens estavam sendo educados (o distanciamento dos Pais) e ao sistema educacional, que até hoje é um tanto defazado.

Como esquecer de John Bender? O personagem bad boy sem limite, que provoca todos, mas que na verdade é uma pessoa super sensível, grande atuação de Judd Nelson, que também repetiria outra boa atuação em O Último Ano do Resto de Nossas Vidas. Aliás, todos os atores dão show, o marcante supervisor Richard Vernom (Paul Gleason) e a queridinha dos anos 80, Molly Ringwald (do Garota de Rosa Shocking, Gatinhas e Gatões, O Rei da Paquera) que foram homenageados em Não é mais um Besteirol Americano, a cena das várias detenções é ótima. Outra cena ótima,  talvez a melhor, é a conversa deles, colocando seus problemas familiares e contando os motivos para estarem ali, com a câmera circulando eles e focalizando as expressões no seus rostos, realmente tocante, aposto que muitos viveram alguma daquelas situações. Engraçado, como algumas das melhores falas vem do personagem do Emilio Estevez, que na história seria o mais limitado e como ator também, talvez na intenção de provar que rótulos não querem dizer nada. 

Pena que a maioria deles não emplacou nas décadas seguintes. Acho que só Emilio Estevez teve algum destaque nos anos 90, mas fora isso, nunca mais ouvi falar em Anthony Michael Hall, que era considerado um promissor ator e trabalhou em Gatinhas e Gatões com Molly, e nem Ally Sheedy, que atua na maioria do filme apenas com trejeitos dignos da turminha de muita gente. Clube dos Cinco além de tudo isso citado, tem a excelente e inesquecível canção do Simple Minds: Don´t You Forget About Me. Um filme aonde tudo se completa e que fazem brotar lágrimas em muitos marmanjos ao lembrar da velha infância. Essa nota é meio suspeita, pois vai carregada  de emoção e nostalgia. Nota 10.

6 comentários:

B-Cine disse...

Esses filmes da nossa infancia que guardamos com muita emoção ao decorrer dos anos é uma das principais razões da existencia desses nossos bloggers.Ficávamos hipnotizados toda vez que passava na TV ou quando alugávamos em VHS.
Esse é um clássico oitentista que eu tive a oportunidade de assistir muitos anos depois graças á vc Marcelão que me emprestou o filme. Obrigado
Realmente um filmaço que marcou época.
Impossível escutar a música e não se lembrar do filme.
Don´t you...forget about me...

Celo Silva disse...

Cara, vc conseguiu exprimir a real intenção do que sinto..hehe

Carol Machado disse...

Quando entro no seu blog perco a noç~]ao de tempo, e sempre que penso em com entar um post, já vejo outro que me cahama a atenção e fico ansiosa pra ver. rsrs. Clube dos cinco é tão sessão da tarde e concordo com vc, não tem como falar desse filme sem envolver emoção, amúsica é tudo!!! ;)

Celo Silva disse...

Po Carol, vlw pela confiança, fico feliz q o blog tem sido lido, sua participação tem sido muito importante, apareça sempre!

Anônimo disse...

sobre o filme O CLUBE DOS CINCO, o unico a ter ressugido do limbo foi justamente ANTHONY MICHAEL HALL,na serie dead zone (no brsil,O VIDENTE).

MARCELO

Celo Silva disse...

PO, essa serie nunca vi, mas parece ser interessante...