Após 40 anos preso, o coveiro Josefel Zanatas ou Zé do Caixão ( José Mojica Marins ) é libertado e tem sede de sangue e sexo. Ao lado do ...

139 - Encarnação do Demônio (José Mojica Marins/2008)


Após 40 anos preso, o coveiro Josefel Zanatas ou Zé do Caixão (José Mojica Marins) é libertado e tem sede de sangue e sexo. Ao lado do seu fiel servo Bruno (Rui Resende) procura por uma mulher que possa gerar seu filho perfeito, a continuidade do seu sangue, como o próprio diz.
No meio dessa jornada, Zé do Caixão vai espalhar muito sangue, arrancar tripas, escalpos, visitar o purgatório e desafiar crendices populares. Além de ter que enfrentar antigos inimigos como o coronel Miro (Jece Valadão) e seu irmão o Capitão Pontes (Adriano Stuart) e novos inimigos como o Padre Eugenio (Milhem Cortaz), filho de um medico que foi vitima do temido coveiro.
Encarnação do Demônio é a volta de José Mojica Marins e suas indefectíveis unhas ao cinema, e olha que o estranho senhor retorna muito bem. Mojica cria uma obra que envolve todo o folclore criado entorno de sua pessoa, explorando o estranho ao extremo, além de criar um filme super ousado para os padrões do cinema nacional.
Antes do inicio do filme, aparece uma legenda dizendo que a obra foi bancada por uma lei de incentivo a filmes de baixo orçamento, sinceramente, nem parece um filme B. A realização é repleta de bons efeitos, alguns bem realistas. A aparição dos fantasmas do passado que voltam para atormentar o coveiro são de gelar a espinha, com destaque para a cena em que uma das mulheres mortas por Zé aparece dilacerada e com varias aranhas enormes saindo do seu ventre.
Um dos outros acertos é a historia ser ambientada em uma favela paulista, com seus terreiros de candomblé e personagens bizarros como as bruxas gêmeas cegas, o lugar certo para criar o clima underground necessário para a trama se desenvolver.
A produção tem boas seqüências, como a da abertura, quando vão soltar Zé do Caixão ou os flashbacks de filmes anteriores como A Meia Noite Levarei sua Alma e Esta Noite encarnarei no teu Cadáver, que inserem as antigas noivas mortas pelo coveiro. Ainda é um filme repleto de frases de efeitos proferidas pelo coveiro e por suas novas noivas, aliás, uma das minhas noivas preferidas é Helena (Nara Sakare), linda e sensual, que protagoniza uma cena de sexo com Zé repleta de sangue. Uma das ressalvas é a obra dar muita importância as cenas gores, que em certo momento cansa um pouco e que acaba deixando um pouco a trama de lado.
Encarnação do Demônio é uma realização que não deixa nada há dever a muitos filmes de terror americanos mais recentes, com direito a uma luta de facas no epílogo. Explora bem as crendices populares brasileiras, ousando com diversas cenas de nu frontal e sexo e utilizando ótimos atores esquecidos como Jece Valadão e Adriano Stuart. Nota 07.


10 comentários:

Pena o Valadão ter morrido no meio das filmagens (o que só aumenta a fama de maldito de Mojica) e terem inventado um tapa-buraco para o personagem dele. Mas no fim, é um filmão mesmo.

Celo Silva disse...

É verdade, Ailton, uma pena mesmo, de repente o desfecho seria outro. Será q Mojica tem folego para mais um?

Mojica... Um dos mestres do cinema nacional, e tb mundial (sendo que o cara influenciou muito diretores como Lucio Fulci, e implantou o Gore por aí). Esse aí ainda n ví... Vou assistir Esta Noite Encarnarei do teu Cadáver.

Celo Silva disse...

Pudim, o cara sabe construir um ambiente estranho mesmo, meio gotico, meio sado maso, são muitas nuances que fazem de Mojica um grande realizador.
Esta Noite Encarnarei no teu Cadáver é um classico mesmo, não deixe de ver. Vlw

O negócio é que esse filme aí é talvez mais do Dennison Ramalho ("assistente de direção") do que próprio Mojica. Ele em si acho que ficou paradão lá nos anos 70. Pra mim, seus grandes filmes vão de À MEIA-NOITE LEVAREI SUA ALMA (um dos melhors filmes brasileiros de todos os tempos) até O DESPERTAR DA BESTA. Depois é ladeira abaixo até chegar à vergonha com coisas como A ESTRANHA HOSPEDARIA DOS PRAZERES.

Celo Silva disse...

Ailton, vc esta falando do Esta Noite encarnarei no teu cadaver, ne? Meia noite é muito bom e superior ao Esta Noite, essa do Dennison Ramalho eu não sabia, é bom sempre contar com comentarios de qualidade como os seus. O Despertar da Besta ainda não vi.

Não, eu me refiro a todos os filmes produzidos na década de 60: À MEIA-NOITE LEVAREI SUA ALMA, ESTA NOITE ENCARNAREI NO TEU CADÁVER, o episódio de TRILOGIA DO TERROR, O ESTRANHO MUNDO DE ZÉ DO CAIXÃO e O DESPERTAR DA BESTA. Tudo isso é coisa fina! Impressionante mesmo o quanto Mojica era genial sem ter estudado nada. Vale muito ler o livro MALDITO, que conta a história dele e de seus filmes. É uma delícia!!

Celo Silva disse...

Vlw pelas dicas, Ailton, vou dar uma pesquisada sobre tudo isso, incluindo o livro.

K disse...

Nunca vi um filme do Zé do Caixão. Pra falar a verdade tenho curiosidade.
Abraços

Celo Silva disse...

K, procure ver, pode ser q talvez goste. Vlw