A recente apreciação do excelente A Pele que Habito me deixou ávido por mais um Pedro Almodóvar , o cinema instigante do espanhol parece q...

316 - Volver (Pedro Almodóvar/2006)


A recente apreciação do excelente A Pele que Habito me deixou ávido por mais um Pedro Almodóvar, o cinema instigante do espanhol parece que cresce nas lembranças e enquanto a sua mais recente obra na sai para ser revista em home–video, esse expectador que vos escreve vai se contentando revendo algumas lançadas e o escolhido foi o também maravilhoso Volver. Um filme que apesar de na essência ser um drama, tem seus momentos de mistério e até traça alguns comparativos com A Pele que Habito, como a mulher que vive enclausurada e guarda um terrível segredo.

No cinema de Almodóvar é mais do que evidente o seu desapego à figura masculina, não sei se algum trauma talvez tenha gerado esse comportamento e nas suas obras o diretor parece exorcizar seus demônios e em uma espécie de auto-analise acaba parecendo fazer do público seu divã (ou seria ao contrário?) e assim concebendo obras sempre desafiadoras e contundentes. Em Volver, o cineasta faz um filme essencialmente feminino, não há homens para se criar contrapontos, os poucos que aparecem logo são limados para darem espaço às atrizes brilharem em cena. Penélope Cruz, Carmen Maura, Lola Dueñas, Blanca Portillo criam um verdadeiro embate de sentimentos esquecidos e aflorados com a morte de uma tia, que parece ter sido cuidada nos últimos momentos de vida pelo fantasma de sua irmã Irene (Carmen Maura) que vem a ser a mãe de Raimunda (Penélope Cruz) e Sole (Lola Dueñas). No dia do enterro da tia, o fantasma acompanha Sole (Lola Dueñas) de volta e se instala em sua casa com  o intuito de se acertar com as filhas.

Claro que Almodóvar não se apega somente ao reencontro de mãe e filhas e apresenta uma outra vertente da historia envolvendo Augustina (Blanca Portillo), uma vizinha filha de uma hippie, e que a mãe sumiu no mesmo dia em que a mãe de Raimunda morreu. Desenrolando esse dois mistérios, o diretor vai tecendo uma teia de feminices que explicitam toda a beleza da mulher. Penélope Cruz, incrivelmente linda e sensual, até nos momentos mais sofridos, representa a dona de casa que parece voltar a sentir a vida depois que o marido a "abandona", é dela uma das melhores cenas, quando protagoniza uma seqüência emocionante cantando uma bela canção enquanto o fantasma da mãe a observa, criando assim um dos momentos mágicos do filme ou mesmo uma outra seqüência dotada da mesma magia em que a fantasma de Irene reencontra Augustina, que clama por saber o que aconteceu a sua mãe.

Volver tem suas reviravoltas e muito do que parece ser na verdade não é. E assim como em A Pele que Habito, quando Almodóvar revela seus segredos, parece que o filme ganha mais força. Como foi dito por alguns leitores do blog e afirmado por esse humilde escritor e fã desse talentoso diretor na postagem do seu último filme, somente um cineasta genial como o espanhol para revelar o mistério do filme ainda na sua metade e mesmo assim manter a trama atraente para o público. Volver é uma obra emblemática na carreira desse cineasta, divide opiniões como a maioria de seus filmes, mas até para quem não gosta é impossível não se render ao magnetismo dessa extraordinária realização.  


16 comentários:

Gabriel Neves disse...

Foi o primeiro Almodóvar que eu vi, devido a ouvir tanta gente elogiando. Mas não gostei, não senti tudo o que falaram. Talvez tenha criado muitas expectativas. Mas reconheço que a história é instigante e que Penélope Cruz está esplêndida.

J. BRUNO disse...

Volver é auge da perfeição que um cineasta pode alcançar, tanto em questão de técnica quanto de narrativa, isso sem contar as atuações estupendas! A Penelope está divinamente linda como sempre e perfeita em sua personagem... Acho maestral a forma com que Almodóvar tece um fio de melancolia e loucura no roteiro do filme... lembro do lance do vento que deixava a população da cidade com algumas neuroses... sublime

Eu simplesmente adooooooro Almodovar... Volver é um filme que gosto muitooo, apesar de não estar em meu top list! Penelope Cruz está simplesmente perrrrfeita! Realmente, Almodovar já se mostrou um maravilhoso entendedor da alma feminina! Adoro... grande beijo e ótimo restante de domingo! ;)

Luís disse...

As pessoas usualmente gostam bastante desse filme e todos os cinéfilos parecem apreciá-lo. Eu, no entanto, não me acerto com essa produção, a qual considero interessante e evidentementemente bem produzida, mas não gosto do seu roteiro, de algo no modo como a história se desenvolve. Adoro as cores do filme, adoro a presença marcante de Penélope Cruz, mas, realmente, sinto dificuldades em "gostar" desse filme.

VOLVER é uma espécie de versão madura de QUE FIZ EU PARA MERECER ISSO?, lá do começo da carreira do diretor. Não está entre os meus favoritos dele, mas Almodóvar nunca erra.

Rodrigo Mendes disse...

Almodóvar apenas acha mais interessante o universo feminino e explora melhor essa questão em seus roteiros. Os homens (heterossexuais) ou são vilões ou homens trágicos. Os homossexuais são como as mulheres, os mocinhos... mas não podemos dizer isso do Gaelzinho em Má Educação!
Não creio que ele leve algum trauma, até porque Almodóvar é homossexual evidentemente assumido e aprecia demais a fruta, ele apenas se identifica com as mulheres. Sem dúvida VOLVER é o auge desta afirmação. Além de ser um filme nostálgico tanto para os fãs como para o próprio cineasta. Adorei que a premissa se desenvolve em La Mancha, o vilarejo em que ele nasceu.

Um filme que tem os ingredientes certos. Cruz está mais radiante aqui!

Abs.

joyce Pretah disse...

O que eu adoro em Almodóvar é justamente o jeito que ele explora o universo feminino e com ele cria histórias sensacionais,que só poderiam sair de uma mente brilhante...um homem com o feminino aflorado em si,e da forma mais bela.

volver tem uma história incrível e mais uma vez,mulheres fortes e decididas.Adoro Penélope,mas minha musa almodovariana é mesmo a Dona CARMEM Maura,que me fez rir e chorar neste filme.

Adoro ver e rever...me embriagar nas cores de almodóvar!

Todos esses elogios ao "feminino" de Almodovar sempre me pareceram injustos e exagerados. Injustos porque ele bebe, e muito, na fote de Rainer Werner Fassbinder, esse sim um cineasta precursor na abordagem do mundo feminino em filmes como "As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant" ou "O casamento de Maria Braun". Não há nada de original no que Almodovar faz. E também é exagerado porque ele já chegou até mesmo à misoginia em um dos seus filmes, "Fale Com Ela", onde tenta fazer o público sentir pena de um estuprador, além de ultrapassar os limite do seu mau gosto crônico naquela cena em que um homem entra na vagina de uma mulher. Lembro sempre de um amigo meu que diz que estava até gostando do filme, mas aí veio aquela sequência e tudo caiu no ridículo.

Detesto essa coisa de querer considerar arte algo que está nos limites do kitsch. É só mau gosto mesmo.

Amanda Aouad disse...

Gosto muito de Volver, a relação da personagem de Carmem Maura com a de Penélope Cruz, os segredos, os reencontros, o marido no freezer, hehe, e claro, aquela bela cena da música Volver.

Celo Silva disse...

Gabriel, talvez precise de uma incursão maior a obra do diretor para realmente admirar seu trabalho, vale a pena e VOLVER não é das mais unanimes mesmo;

Bruno, é por ai mesmo, um grande atuação das atrizes, Almodovar tem pleno dominio de sua arte;

Joicy, vlw pela visita, em um TOP 5, talvez VOLVER tb não entre, mas mesmo assim gosto muito dessa obra.

Celo Silva disse...

Luis, VOLVER não é uma unanimidade mesmo, mas de repente vale uma revisão, hein?

Ailton, tb acho ele dificil errar feio, como já disse, mesmo qd não é excelente, continua sendo muito bom;

Rodrigo, com certeza Almodovar tem a fixação pelo universo feminino e tb não acho de verdade que tenha algum trauma, talvez me falte sensibilidade para entender o universo gay, mas me esforço, valeu pelo comentario explanativo, veio bem a calhar.

Celo Silva disse...

Joyce, Carmem Maura está otima nesse filme mesmo, mas acho q tds as atrizes estão muito bem. Almodovar domina esse universo como poucos;

Fabio, meu caro, pelo visto vc não gosta de Almodovar mesmo. Eu respeito sua opinião, mas tenho direito de discordar. Acho q dizer q ele bebe da fonte de algum diretor não é justificativa para dizer q o diretor não tem talento, até pq desde os idos do cinema alguem sempre esta se espelhando em alguem. Acho q seu problema é pessoal mesmo, questão de gosto e como se diz: Gosto não se discute, mas é bom comentarios q incitem discussões, seja sempre bem vindo a discordar do que escrevo, não fico nem um pouco chateadol. O cinema é assim mesmo. Abração!

Celo Silva disse...

Amanda, VOLVER é isso mesmo, um filme de um cineasta q merece todo respeito! O momento da canção é unico mesmo. Abs!

alan raspante disse...

Meu favorito do Almodóvar!

David C. disse...

Tienes razón, "Volver" es una película que te atrapa con la idea de la fantasma. De Almodovar lo que más me gusta es "Hable con ella".

Celo Silva disse...

Alan, não é meu favorito, mas gosto muito;

David C., gostei muito de Pele que Habito, mas acho q Fale com Ela tb é meu preferido;

Abs!