Demorei quase um ano para conferir Feliz Natal , o primeiro filme de Selton Mello na direção. Não porque tenha deixado de lado, até tent...

311 - Feliz Natal (Selton Mello/2008)


Demorei quase um ano para conferir Feliz Natal, o primeiro filme de Selton Mello na direção. Não porque tenha deixado de lado, até tentei assistir duas vezes, mas o inicio insuportavelmente lento sempre me fazia pegar no sono. A motivação extra para assisti-lo veio logo após a sessão do novo filme desse iminente diretor, O Palhaço, para assim tentar traçar alguns comparativos. Na verdade, os dois filmes têm pouco em comum, alguns enquadramentos parecidos, mas o tom de melancolia e tristeza é muito mais forte aqui, trazendo uma ausência de redenção para os personagens.

A trama se desenrola nos festejos de natal da família de Caio (Leonardo Medeiros), um sujeito que vive afastado da família cuidando de seu ferro-velho e na noite de natal resolve fazer uma visita a seus familiares e antigos amigos. A chegada dele durante a ceia natalina desperta as reminiscências entocadas naquela desestruturada família, que tem no patriarca (Lúcio Mauro inspirado) um sujeito despreocupado com seus entes, que suga financeiramente um dos filhos, enquanto se satisfaz sexualmente com uma mulher bem mais jovem e a matriarca (Darlene Gloria também inspiradíssima) uma senhora com sérios problemas psicológicos, que mistura barbituricos com bebidas alcoólicas, trazendo desconforto aos familiares com seu estado. Claro que todo aquele comportamento reprovável respiga nos filhos, que não sabem lidar tanto com um quanto com outro e ainda parecem perdidos nas próprias convicções.

Feliz Natal é um filme seriamente triste, com fortes tendências depressivas, mas que infelizmente pode ser o cotidiano de uma família e a ambientação dele na época natalina soa totalmente crível, até porque nesses dias é quando as pessoas têm tempo disponível e acabam encarando a vida que levam de verdade. Sendo assim, é normal que muitos sintam esses sentimentos em uma época que deveria ser festiva. O olhar de Selton Mello é pessimista assim mesmo, não elucida beleza da tristeza, mas mesmo assim ele consegue extrair candura e ternura em alguns momentos. Pode não ter a beleza estética da sua mais recente obra, mas dialoga com mais propriedade sobre o assunto apresentado.


12 comentários:

Hugo disse...

A tristeza dos personagens parece aumentar com a quantidade de closes que Selton Mello utiliza.

É um filme não indicado para pessoas depressivas.

Abraço

renatocinema disse...

Assino embaixo que Feliz Natal é um filme seriamente triste, com fortes tendências depressivas. Não existe porque negar. Talvez por ter visto Feliz Natal no lançamento tenha gostado tanto de O Palhaço. Fui com a ideia de que Selton realizaria algo semelhante, o que não foi o caso.

Na verdade o que tenho a dizer é que apreciei muito os dois trabalhos do diretor. Tanto a depressão de Feliz Natal quanto a reflexão com certo humor de O Palhaço.

J. BRUNO disse...

Ainda não o assiti, mas confesso que fiquei curioso... o estranho é que até agora só li criticas negativas dele e aquilo que os outros críticos apontaram como "falhas' eu vejo como incentivos para que eu o procure...
.
http://sublimeirrealidade.blogspot.com/

Apesar de gostar muito do Selton, não senti vontade de assistir esse filme! Gosto muito de filmes brasileiros, mas, ainda assisto menos que deveria. É algo que preciso mudar... Já O Palhaço eu quero muiiito ver... #DicaFicou... bjks

Qto ao comentário lá no blog, acho que seu problema era igualzinho ao meu... com a diferença que naquela época eu nem tinha tanta vontade de fazer tatuagens. Mas, minha mãe tbem era ultra conservadora em relação a isso... No meu caso, a vontade de tatuar algo foi surgindo com o passar dos anos e só aumentando! Tanto que já quero outra... Assim como vc quero fazer uma homenagem ao meu filho... a próxima será com essa finalidade, se tudo der certo! Quero fazer algo na panturrilha, bem grande. Mas, não será retrato. Essas eu não gosto! Apesar de conhecer excelentes tatuadores de portrait. Sobre o filme que vc indicou, nossa, fiquei interessada! Adoro filmes de terror... Dica anotadíííííssima! bjks

Esse filme sombrio é um tributo ao Cinema Novo. Duro, mas cheio de talento.

O Falcão Maltês

Kamila disse...

"Feliz Natal" é um belo filme, que fala sobre esse lado mais melancólico de uma festa em que o tom maior é o de confraternização. Acho o filme muito sincero e extremamente bem atuado. A prova de que o Selton Mello tinha um grande potencial como diretor.

Nossa, velho...
Há filmes que deixam a gente mó pra baixo... assisti a um recente, que foi O Túmulo dos Vagalumes (filme de 1988, e o título nacional dele é assim mesmo)... e, putz... chorei como criança; fiz recentemente um texto para ele.

Ps: E aí, Celo? Como vai ser quando chegar ao filme nº 365?

Abs!

Celo Silva disse...

Hugo, é vdd, os close evidenciam essa tristeza, não recomendado para pessoas em estado depressivo, q parece q era como Selton Mello se sentia naquele momento;

Renato, tenho q dizer q apesar de depressivo, achei FELIZ NATAL mais interessante, não q não tenha gostado de O PALHAÇO;

Bruno, veja o filme, q valhe a pena e tire suas conclusões.

Celo Silva disse...

Joicy, FELIZ NATAL é um filme de apreciação nd facil, mas acho q vale ser visto;

Antonio, essa comparação procede mesmo, tem talento evidente mesmo;

Kamila, o potencial dele vem crescendo mesmo, mas a tristeza no natal pode ser bem sincera;

Victor, mas as veze é bom sentir essa tristeza, faz pensar. Já tinha ouvido falar desse filme, tenho curiosidade, vou la conferir teu texto. Qt a promessa dos 365 filmes, tenho intençao de continuar escrevendo no blog, mas com um proposta menos intensa...hehehehe

Abs a Tds!

Selton Mello já demonstrou talento em sua estreia na direção, o que prosseguiu com O palhaço que está fazendo grande sucesso de público.

Amanda Aouad disse...

De fato, Selton Mello conseguiu construir dois filmes, dois universos, duas estéticas bem distintas, nem por isso menos bela. Gostei de Feliz Natal, apesar de achar alguns detalhes exagerados em sua primeira experiência. Mas, com O Palhaço ele me ganhou de vez.

Celo Silva disse...

Gilberto, Selton Mello é promissor na direção mesmo, mas ainda espero sua grande criação;

Amanda, FELIZ NATAL parece exagerado em alguns momentos mesmo, mas acho q a intenção talvez fosse essa messmo.