Indicação do Elson, um estimado leitor aqui do blog, The Woman é o típico filme que fica conhecido apenas pelo boca a boca, porque não te...

305 - The Woman (Lucky Mckee/2011)

Indicação do Elson, um estimado leitor aqui do blog, The Woman é o típico filme que fica conhecido apenas pelo boca a boca, porque não tem apelo, na época boa das locadoras talvez até rendesse mais divulgação. Pena, porque um filme bom como esse provavelmente vai ser pouco visto. É inevitável a classificação dessa realização como um filme de terror, até porque tem uma considerável quantidade de gore imbuído na trama, mas de forma notável a historia rende interessantes interpretações, diria que algumas até filosóficas.

Na trama temos a família Cleek, típica interiorana americana, Chris (Sean Bridgers) é o pai, um advogado competente e que parece cuidar da família de uma maneira bem dura. Um dia caçando pelas florestas que envolvem sua propriedade se depara com uma Mulher (Pollyanna McIntosh) que vive como uma selvagem, aparentemente não teve contato com a civilização e ainda tende a ser bem violenta. Chris a captura, como quem captura um animal e a leva para casa com a intenção de domesticá-la, mas seria essa a verdadeira intenção do patriarca daquela estranha família?

Então, inicialmente vemos a família se revezando nos tratos da Mulher selvagem, mas logo percebemos que a intenção de Chris não é realmente civiliza-la. Ele que parecia um tradicional cidadão, se revela como um sádico, tão violento e selvagem como a Mulher, ao ponto de estuprá-la com requintes de crueldade. A sua família vive a mercê das imposições dele. A esposa parece não ter força para se levantar contra o marido, a filha mais velha tem tantos problemas com sua emergente vida adulta que parece não querer se preocupar com aquela pessoa presa no porão de sua casa, a filha mais nova ainda é muito criança para entender o que se passa, somente o filho homem parece se envolver com o que esta acontecendo e ainda admirar o pai, a quem se espelha em suas ações.

O que torna The Woman mais do que interessante é essa inversão de valores, como se o selvagem fosse o bom e o civilizado o mau ou como se mesmo o homem se achando civilizado na verdade é o instinto que nos move, seja para a maldade ou para bondade, mostrando uma linha bem tênue entre essas ações, até mesmo para os derradeiros acontecimentos relativos à Mulher. A direção de Lucky Mckee (que também escreveu), experiente com o gênero, é bem segura, infringindo uma boa tensão ao expectador, mas o tom existencialista poderia ser mais explorado, mas acho que a intenção do diretor era manter a pegada de horror, para assim impressionar o publico com as seqüências finais, assustadoras e chocantes. Um filme que se destaca pela originalidade e bem superior a muita produção mainstream. 


6 comentários:

Olá, Celo... nossa, adorei a resenha desse filme! Não assisti, ainda... Mas, anotadíííííssimo! Vc já assistiu o filme alemão "A experiência"?? Não segue a linha desse filme que vc citou na postagem, mas fala sobre o comportamento humano, tbem. É excelente! Super indico... Seu post, de certa forma, fez lembrar-me dele! Depois veja o trailler! http://www.youtube.com/watch?v=9XLBFgymXic
Sobre seu comentário lá no blog, eu estava precisando dessa viagem... desses dias longe de tudo... só com o bem! rs... Apesar do cansaço, voltei com a mente leve. Satyricon é uma banda Norueguesa, eles tocam Metal mais pesado(BlackMetal). Das bandas de Metal que gosto de ouvir, o "Black Metal" não está entre meus sons preferidos, mas, há algumas bandas desse gênero que ouço de vez em quando(Satyricon está entre elas). Meu marido curte muito esse estilo, então como queríamos ir para Sampa, unimos o útil ao agradável! rs... o show foi muitoooo bom! Valeu a pena... Até mais... bj

Elson disse...

Caro Celo pelo visto gostastes da "Mulher", achei muito bom tb, só achei a chamada "curva dramática" do personagem masculino um tanto inconsistente, foi um tanto desproposital ele agir daquela maneira no final do filme, mas ainda assim o filme levanta tantos temas relevantes, que vale muito a sessão!
abs

Nossa, que filme estranho, mas mesmo assim achei interessante. O curioso é a maneira como o filme foi pouco divulgado, sequer tinha ouvido falar. Muito bom seu texto, será que acho fácil pra download?

abs

Maxwell Soares disse...

Sabe aquela frase de Rosseuau (1712-1778): "O homem é bom por natureza. É a sociedade que o corrope." Há, também, aquela de Thomas Hobbes (1588-1679): "O homem é lobo do próprio homem." Poi é, Celo, será essa a ideia do filme? Irei conferir para tirar as minhas próprias conclusões. Um abraço...

Celo Silva disse...

Joicy, assisti esse A Experiencia, é um filme interessante mesmo, q bom q se interessou pelo filme, vale a pena ser descoberto mesmo, vlw pelas dicas sobre a banda, até curto esse tipo de som, vou dar uma procurada;

Elson, será q essa não era a intenção? Mostrar o pai como um sujeito tão convicto q beira o irracional? Achei a atuação dele bem parecida com algumas de Will Ferrell, estranho isso ne? hehehehe, mas é um filme q rende algumas interpretações, gosto qd o terror usa isso, costuma ser criativo. Vlw pela dica!

Celo Silva disse...

Cris, arruma facil para download sim, sugiro em mkv, ta com uma imagem linda, é um filme de certa forma estranho, mas q se torna interessante por isso;

Maxwell, acho q é por ai mesmo, mas em um ambiente mais inospito impossivel, veja sim, vale ser descoberto essa obra;

Abs a Tds!