Segundo filme de Walter Hugo Khouri , Estranho Encontro de 1958, marcou a transição do diretor da Companhia Cinematográfica Vera Cruz, aond...

255 - Estranho Encontro (Walter Hugo Khouri/1958)

Segundo filme de Walter Hugo Khouri, Estranho Encontro de 1958, marcou a transição do diretor da Companhia Cinematográfica Vera Cruz, aonde fez seu primeiro filme, O Gigante de Pedra, para a Brasil Filmes, que apesar da mudança de nome, continuou a usar os estúdios e equipamentos da extinta produtora. A Vera Cruz ficou conhecida pelo classicismo de suas produções e Estranho Encontro não é diferente, remetendo a todo o glamour que o cinema propunha ter nos anos 50, principalmente o Noir, comprovado pela bela fotografia preto e branco, a trilha sonora mágica de Gabriel Migliori e as atuações marcantes do elenco, que não faria feio em filmes Hollywoodianos da época.

A historia começa com o bon-vivant Marcos (Mario Sergio) encontrando a bela e perturbada  Julia (Andréa Bayard) em rota de fuga em uma estrada deserta no meio da noite. Marcos a leva para uma bela propriedade em que pretendia passar o final de semana. Julia lhe conta a sua historia, em um genial flashback, que consiste no relacionamento doentio que mantinha com Hugo (Luigi Pichi), um neurótico ex-combatente de guerra, que a mantinha como prisioneira e que motivou sua fuga. A atração entre Marcos e Julia é evidente, talvez até amor à primeira vista, mas sem duvida a figura frágil da moça fez com que aflorasse o lado mais protetor de Marcos. Nesse contexto, ainda temos o cínico caseiro (Sergio Hingst), um tanto desconfiado, que começa a investigar os passos de Marcos e para aumentar a tensão, o que eles menos  contavam é que a amante (Lola Brah) de Marcos, dona da propriedade, aparecia sem avisar.

Estranho Encontro é um filme repleto de cenas maravilhosas, algumas sensíveis, outras tensas, desde a inicial, passada na estrada ao epílogo realizado em um bambuzal. A atriz Andréa Bayard ilumina a tela quando aparece, seu belo rosto nos faz lembrar as grandes divas do cinema e o galã Mario Sergio demonstra uma impressionante química com a moça, difícil não torcer pelos dois. O imponente casarão onde se passa toda a trama remete um tanto a Crepúsculo dos Deuses, reforçado ainda pela atuação de Lola Brah, que faz a amante madura de Marcos e carrega uma atuação à lá Gloria Swanson, guardada as devidas proporções, é claro. Se Estranho Encontro tivesse sido realizado nos EUA, com certeza, seria tratado com muito carinho, com restaurações em DVD especial lotado de extras ou ainda em BD, sendo reverenciado por publico e critica, mas nosso país é conhecido por não ter memória e uma pequena Obra-Prima como essa acaba ficando esquecida e restrita a amantes do cinema. 

7 comentários:

Verdade, Celo. Se o filme fosse americano estaria recebendo toda a atenção e entraria para o cânone internacional. Tem uma passagem do filme que remete muito a TRISTANA, do Buñuel, que é quando mostram a perna "mecânica" do marido de Julia. Acontece que Buñuel filmou depois. hehe. Khouri gênio!!

E que beleza de comparação com CREPÚSCULO DOS DEUSES, hein! A cena do travelling se afastando da personagem na escada é foda!!

Celo Silva disse...

Ailton, não assisti TRISTANA, mas parece q Buñuel era fã de Khouri, hein? Rs...ESTRANHO ENCONTRO é um filme genial mesmo, já estou até com vontade de rever. A cena do travelling é foda mesmo, acho q Khouri tentou homenagear CREPUSCULO DO DEUSES mesmo, não seria estranho. Obra-Prima maravilhosa, pena q muita gente nem dá a chance ou ainda zombam, pena mesmo...enfim, talvez não sejam dignos da obra.

Sou louco pra ver esse filme, Celo... esse e o NA GARGANTA DO DIABO,também do Khouri. Como o conseguiu?

O Falcão Maltês

Celo Silva disse...

Antonio, acredite se quiser, fiz um download em um site gringo, que alias tem outros do Khouri, baixei varios e vou ver se tem esse outro q vc falou.

Abs!

A GARGANTA DO DIABO acho difícil encontrar, mas se por acaso achar, me dá o toque. hehe

Celo Silva disse...

Ailton, já dei uma olhada e vi q o troço é meio raridade mesmo...

Acho que nem a Cinemateca em São Paulo tem A Garganta do Diabo. Se alguém um dia achar, por favor, convertam em AVI ou algo assim e disponibilizem na internet.