Sinceramente, o trailer em formato de clipe de O Homem do Futuro não tinha me animado nem um pouco em assistir, mas pela falta de boas opçõ...

237 - O Homem do Futuro (Cláudio Torres/2011)

Sinceramente, o trailer em formato de clipe de O Homem do Futuro não tinha me animado nem um pouco em assistir, mas pela falta de boas opções, acabo sempre dando chance a produções nacionais e esse ainda é dirigido pelo Cláudio Torres do divertido Redentor de 2004, um filme que mesclava bem fantasia e realidade em uma trama que  homenageia de certa forma uma historia clássica de herói dos quadrinhos.

Visto, O Homem do Futuro me agradou muito, sendo em minha opinião, até agora o melhor filme nacional lançado no circuito em 2011. Um tanto da força dessa obra vem do ator Wagner Moura, que constrói três personagens de si mesmo que se encontram em uma cruzada temporal, o cientista Zero, que acidentalmente ou não, cria uma maquina do tempo e acaba indo parar em um momento crucial da sua vida, aonde conheceu o amor e o perdeu, achando que tal situação, originou a mediocridade da vida pessoal que leva.

O filme é todo revestido de nostalgia oitentista, com um saboroso gosto das antigas sessões da tarde, marcado pela canção Tempo Perdido do Legião Urbana, que ajuda a conceber as melhores cenas do filme. Inevitável também uma comparação com a cena de De Volta para o Futuro, a do baile, em que Marty toca uma musica para que seus pais possam finalmente ficar juntos, mas acho que a intenção de Cláudio Torres era construir essa atmosfera que nos remeteria a bons momentos da vida, mesmo os sofridos, criando uma ampla identificação com Zero. Afinal, quem não gostaria de mudar uma parte do seu passado?

Além de uma historia bem contada, O Homem do Futuro apresenta efeitos visuais muito bem realizados, principalmente quando os três Zero estão em cena, dignos de Hollywood. A atriz Alinne Moraes, que faz o interesse romântico do protagonista, consegue entregar uma atuação carismática e os coadjuvantes Fernando Ceylão e Maria Luisa Mendonça compõe muito bem o cenário de reviravoltas que se forma em torno das alterações que as viagens temporais acabam criando. O epílogo pode soar piegas, mas aposto que deixou muita gente feliz.

7 comentários:

alan raspante disse...

O filme vem recebendo críticas bastante positivas, mas eu ainda não tive a oportunidade de ir conferi-lo. Acho que vai ficar para o DVD.

[]s

pudimdecinema disse...

Não faz muito o meu gênero, mas dou maior valo ao cinema nacional, sendo que eu vou aguardar o lançamento deste em DVD e conferir. Faz várias referências a 2001: Uma Odisséia no Espaço, pelo visto.

Abs!

Victor Ramos

Celo Silva disse...

Alan e Victor, acho q vale uma conferida no cinema, é um filme bem legal e vamos dar publico para as boas produções nacionais!

Abs!

Vou conferir no dvd também, mas tenho boa expectativa! sou fa de Wagner Moura, ator incrível! abs

Celo Silva disse...

Cris, parece q o pessoal não quer conferir produções nacionais no cinema, talvez devido a tantos filmes ruins lançados ultimamente. Pena, esse vale a pena.

R Jr disse...

Este filme deve estar entre os melhores que já foram lançados em nosso País.
Wagner Moura dá a qualquer papel um tom de perfeição.
Nosso filme, nosso País, nossa musica brasileira que a tanto foi esquecida por nós patriotas. Assisti esse filme hoje e queria poder entrar na máquina do tempo e assistir no cinema com o som no mais alto possível! UM FILME SENSACIONAL! VIVA O ROCK NACIONAL!

R Jr disse...

Desculpem pelos erros nítidos de português!

Foi mais pela emoção. haha