Se por um lado, Bróder não é um filme maravilhoso ou contundente, por outro lado se difere muito em qualidade cinematográfica das atuais pr...

224 - Bróder (Jeferson De/2010)

Se por um lado, Bróder não é um filme maravilhoso ou contundente, por outro lado se difere muito em qualidade cinematográfica das atuais produções nacionais cada vez mais americanizadas que estão sendo lançadas. O diretor estreante Jéferson De comete uma obra dotada de emoção e que mesmo em um ambiente inóspito, que poderia levar a um filme exclusivamente sobre criminalidade, como a periferia do Capão Redondo em São Paulo, o seu principal foco é no trio de amigos, que cresceram juntos na favela, mas tiveram rumos diferentes na vida.

A trama se passa no dia do aniversario de Macu (Caio Blat), típico morador do Capão Redondo. Sua mãe (Cássia Kiss) prepara uma festa e convida seus melhores e mais queridos amigos: o famoso jogador de futebol Jaiminho (Jonathan Haagensen) e Pibe (Silvio Guindane), que saiu do Capão, mas passa dificuldades para manter a família longe da favela. Existem certas desavenças entre os amigos, mas o clima de amizade é notório, com cenas divertidas e emotivas, como uma em que os amigos cantam juntos um rap dos Racionais ou outra em que os amigos batem bola no campinho mal cuidado da comunidade. Porém, nem tudo é felicidade, Macu esta envolvido com criminosos locais, que elaboram um seqüestro, mas a presença dos antigos amigos, principalmente Jaiminho, faz com que tudo possa mudar, para melhor ou pior.

A obra mostra como a periferia pode influenciar ou talhar a personalidade do seu morador, com situações criveis, com destaque para Caio Blat que constrói um personagem marcante e conflitante, que ama os amigos, mas deve satisfações e obediência aos criminosos locais. O jogador Jaiminho também representa bem a ascensão meteórica de atletas de futebol de comunidades carentes, sem o mínimo de preparo para a vida, que dependem muito dos empresários, que em muitos momentos visam apenas o lucro em detrimento a qualidade de vida do seu cliente. Como disse, não é um filme notável, mas tem personalidade e faz pensar, o que poucos exemplares nacionais tem feito.

1 comentários:

pudimdecinema disse...

Me parece ser um bom filme. O trailer é motivador.

Abs!

Victor Ramos