Uma das coisas que mais chama a atenção em À Deriva , de Heitor Dahlia , é a semelhança com produções européias, desde seu estilo de filmage...

225 - À Deriva (Heitor Dahlia/2009)

Uma das coisas que mais chama a atenção em À Deriva, de Heitor Dahlia, é a semelhança com produções européias, desde seu estilo de filmagem até a trilha sonora que remete a vários clássicos franceses, alem  de o protagonista ser o ator francês Vincent Cassel. Esse trabalho de Dahlia de 2009, foge um pouco do estilo sarcástico e de humor negro que o diretor apresentou em obras anteriores, como Nina e O Cheiro do Ralo. O diretor dispôs de atores renomados como a americana Camila Belle e Deborah Bloch, conta com uma estreante que brilha, Laura Neiva, mas não conseguiu cometer sua melhor obra.

A trama gira em torno das férias da família do escritor Mathias (Vincent Cassel). Ele e a esposa (Deborah Bloch) estão em crise e resolvem tentar aplaca-la na casa de praia. Percebe-se logo que não esta dando certo, Mathias tem um caso com uma americana (Camila Belle) em férias também, enquanto a esposa passa a maioria do tempo enchendo a cara. Filipa (a bela Laura Neiva), a filha mais velha, começa a se descobrir como mulher e logo acaba desmascarando o caso do pai. A trama emperra ai, mostrando o desenrolar dos enlaces amorosos da menina e a desconstrução do relacionamento do casal, com momentos pouco inspirados e outros até enfadonhos.

Dahlia explora pouco o que a trama poderia oferecer, perde um bom tempo filmando as paisagens da belíssima cidade de Búzios, que apesar de paradisíaca acaba tendo pouca influencia na historia. Vincente Cassel até defende bem seu papel, falando um português impecável, mas a falta de química com Deborah Bloch é notória. Camila Belle então, acho que fala umas três frases, em uma participação ridícula, querendo emular Brigitte Bardot quando morou no balneário. No final, Á Deriva acaba valendo pela estreante Laura Neiva, que exala sensualidade em seu estilo lolita e o expectador, acaba ficando literalmente como o titulo.

7 comentários:

Rafael W. disse...

Eu achei o filme muito bom, um sopro de qualidade no meio das produções nacionais atuais.

http://cinelupinha.blogspot.com/

alan raspante disse...

Nossa, desde o lançamento que estou curioso para conferir este filme, mas até hoje... NADA! Vou tentar vê-lo por esses dias..!

[]s

Celo Silva disse...

Rafael, não achei de td ruim, mas esperava mais desse Dahlia, até pq gosto bastante das suas obras anteriores;

Raspante, vale uma olhada, para ver a novata Neiva.

Abs!

Não sei se concordo com suas ressalvas. Acho À deriva um triunfo do minimalismo. Não é só o melhor filme brasileiro de 2009, é um dos melhores filmes daquele ano.
abs

Celo, achei meio decepcionante. É um bom filme, mas está muito longe do talento de NINA ou mesmo de O CHEIRO DO RALO.

O Falcão Maltês

Celo Silva disse...

Reinaldo, respeito sua opinião, mas infelizmente não vi tantas qualidades assim, talvez mereça uma revisão, não me pegou como deveria;

Antonio, tb me decepecionei, realmente achei longe do talento dos trabalhos anteriores;

Abs!

A Dariva chegou aqui nos Estados Unidos, e estava cheio de espectativas sobre o filme porque Dhalia fez filmes bem interessantes, mas esse ele errou em quase tudo.....tudo bem, a fotografia eh lindissima....mas os atores.....wow....que horror! Tudo bem, nao se pode esperar tanto do Cassel com o seu portugues...casa com a proposta, mas os dialogos na boca dos atores soam superficiais...falam e a emocao passa bem longe....
e que lolita eh essa? muito ruim...que atriz eh essa? lInda mas muito ruim....e a linda Belle fazendo caras de diva...e sem quase abrir a boca!!!!
Fiquei decepcionadissimo com filme!