Até pelo titulo em português, Repulsa ao Sexo pode sugerir um filme dramático, com enfoque em uma pessoa que tem problemas de ordem se...

191 - Repulsa ao Sexo (Repulsion/Roman Polanski/1965)


Até pelo titulo em português, Repulsa ao Sexo pode sugerir um filme dramático, com enfoque em uma pessoa que tem problemas de ordem sexual, diferente do que ele realmente é, pegando até um expectador desavisado, pois a obra do diretor Roman Polanski ainda tem a estrela Catherine Deneuve no auge da beleza. A repulsa do titulo original, com certeza, está mais relacionado à vida da personagem principal.

Esse segundo trabalho desse talentoso diretor na verdade é um forte suspense psicológico que vai numa crescente até tornar – se em um terror dos mais nauseantes e Polanski consegue tudo isso usando apenas um apartamento devidamente mal cuidado, mas apresentando uma atriz em estado de graça, que faz o filme funcionar totalmente. A visão de Carole (Catherine Deneuve) com aquele olhar distante, totalmente transtornada se transforma em uma característica marcante que atesta o estranhamento e a capacidade de Polanski em cria ambientes tenebrosos e claustrofobicos.

Talvez, Repulsa ao Sexo tenha sido um ensaio para O Bebê de Rosemary, obra prima desse diretor que viria um pouco em seguida. Muito de um está no outro, até os personagens femininos são parecidos, acometidos com problemas que aparentemente não existem, mas que as transforma de maneira perturbadora, chegando a atingir o expectador, pois é difícil não ficar nervoso com as situações apresentadas. 

Na trama, Carole é uma menina de família que mora com a irmã mais velha. Trabalha em um salão de beleza e namora um belo rapaz, mas na sua vida tudo parece a incomodar. Ela não gosta do noivo da irmã, seu namorado a irrita, querendo sexo e para piorar sua irmã sai em uma viagem, deixando – a sozinha em casa. A partir desse momento, dentro de sua distopica mente, o apartamento em que mora se volta contra ela, com direito a estupradores perversos e alimentos apodrecendo pela casa. Uma cena das mais agonizantes é criada naquela local, um verdadeiro pesadelo, que parece não ter fim, mas que tem e não é dos melhores.

A mencionar, a produção ainda possui uma trilha sonora que marca e exalta os momentos mais tensos do filme, ora baixinha como se quisesse preparar para as seqüências mais pesadas que estejam para vir, a trilha é muito importante para essa realização, até porque o filme chega a ter longos momentos sem dialogo, pois Carole sofre sozinha em uma aparente mistura de esquizofrenia e depressão. Os efeitos visuais, até simples, compõem muito bem as visões terríveis da moça, que ganham força com a fotografia em preto e branco. É notável também a atuação de Catherine Deneuve, uma atriz que se entrega ao personagem de maneira incrível e realista. Repulsa ao Sexo, definitivamente, é um filme que pode ser incluído na lista dos pontos altos da filmografia do diretor Roman Polanski, mostrando que o terror muitas vezes está em nossa cabeça.

10 comentários:

Mas vc acha que em O BEBÊ DE ROSEMARY o capeta não é de verdade?

Celo Silva disse...

Ailton, acho q o capeta é de verdade, talvez não tenha me explicado com clareza, mas inicialmente os filmes se parecem, ate pq em O Bebê de Rosemary td se revela mais para o final.

Laércio Cunha disse...

Teu texto tá muito bom Celo, adorei. Pois sabe que eu tenho uma enorme curiosidade de assistir esse filme, adoro o Polanski. Sempre topei por esse dvd na locadora com tua análise me despertasse o interesse pelo filme vou dar uma conferida.

http://thecinefileblog.blogspot.com/

abraços!

Ótima análise Celo. Repulsa ao sexo é um primor. Esse e O bebê de Rosemary foram nítidas referências para Aronofsky compor seu Cisne negro.
Um filme de forte carga psicológica emoldurado por uma narrativa potente e uma linguagem definidora.
Polanski em vias de se tornar um mestre.
Abs

Celo Silva disse...

Laercio, obrigado pelo elogio, Repulsa ao Sexo vale uma olhada, não deixe de ver;

Reinaldo, seu comentario complementa bem o texto, definitivamente essas obras inspiraram Aronofsky.
Obrigado pelo elogio tb.

Abs a tds.

Camila disse...

Olá Celso, acompanho seu blog e gostei do seu comentário sobre Repulsa ao sexo. Um dos melhores Polanski.

Mas so para corrigir, Carole não tem namorado, o primo tenta algo com ela. Ela tem repulsa ao sexo oposto!

Abs

Camila

Celo Silva disse...

Camila, jura q o rapaz é primo dela? Em algum momento isso é citado, pois lembro q eles chegam a se beijar em determinado momento...com certeza ela tem repulsa pelo sexo masculino mesmo, mas em determinado momento ela chega a se preparar para oa visita do estuprador...sei não Repulsa ao Sexo é um filme dificil de comentar mesmo, mas obrigado pelo seu complemento a postagem e apareça sempre!

Confesso que mal me lembrava deste filme, mas teu ótimo texto me fez relembrar. Interessante que o que ficou marcado mais em mim eram os "sonhos" da protagonista...os tormentos dela..o filme é excelente! vou revisá-lo, preciso!

abraço

Celo Silva disse...

Cris, reveja mesmo, acho q esse talvez caiba no Apimentario, grande Abraço.

Kuki Bertolini disse...

Celo,adorei o filme, super perturbador. O Polanski sabe como demonstrar um drama psicológico como ninguem!A esquizofrenia palpável de Carol me deixou angustiada o filme inteiro.To me sentido mal até agora!!Como eu falei no Apimentário,um filme super polêmico,ainda mais pra época que foi lançado!Perfeita atuação da Catherine!! Curti demais!! Baita abraço!! =D
http://thecinefileblog.blogspot.com/