Sabe esses filmes que você assisti sem expectativa nenhuma e eles acabam te surpreendendo. Pois é, "Número 9" é um exemplar desse....

18 - Número 9 (Nine/John August/2007)

Sabe esses filmes que você assisti sem expectativa nenhuma e eles acabam te surpreendendo. Pois é, "Número 9" é um exemplar desse. O filme com o galã Ryan Reynolds tem muitas qualidades, além dele estar muito bem representando 3 papéis. A trama começa meio confusa, mas logo as pontas vão se juntando e o que vemos é um filme de dar gosto. A história é dividida em 3 atos. No primeiro, o personagem de Reynolds , um famoso ator da TV, coloca fogo na casa e parti para uma jornada de auto - destruição indo parar em  um motel com uma prostituta de quinta regado a drogas e bebidas, culminando com sua prisão. Por ser famoso e primário, é colocado em prisão domiciliar. Logo ele se envolve com a vizinha e com uma RP irritante. Os episódios 2 e 3 são meio que variações do primeiro, com os personagens principais  fazendo  papeis diferentes; e no decorrer nada parece o que é. O número 9 aparece várias vezes e acaba se tornando um enigma para o personagem, que a partir daí vai se redescobrindo. Em algumas mitologias, o número 9 tem diversos significados. Como: o Poder Supremo, o Nome misterioso, Energia, Inspiração...e a trama vai desenvolvendo essa ideia até culminar em um final surpreendente. Acredito eu, que a partir desse filme Ryan Reynolds começou a ser visto com outros olhos por hollywood, e não é para menos. Nota 08.

4 comentários:

B-Cine disse...

Outro filme com o Ryan Reynolds que tenho vontade de ver é Enterrado Vivo, onde ele passa a maior parte do filme num caixão.
Esse numero 9 eu achei uma confusão tremenda. Não estava e um bom dia para assistir a qualquer filme que fosse. Tenho ele em casa e pretendo assistí-lo novamente.
Acho divertido aquele do Ryan em que ele interpreta um gordinho...Apenas amigos...hehehehe

Celo Silva disse...

Esse filme me pegou em cheio, talvez por aquele lance dele ser Deus. Gostei do estilo narrativo tambem, amarrando as pontas direitinho. Vale a pena ver de novo.

Artur Barz disse...

porra, filme muito doido...É quase uma obrigação ve-lo novamente, pois, não o interpretei muito bem em outrora...Na verdade não compreendi muito, so entendi q ele está vivendo em muitas realidades paralelas simultaneamente...

Celo Silva disse...

Artur, na vdd era ele q criava as realidades, para se esconder do seu proprio vicio. É um filme para confundir mesmo, vale uma revisão.